segunda-feira, 22 de agosto de 2011

PAGINA 01ate a PAGINA 10


E ai galera, como prometido vou colocar 4 paginas, mas como tinha tempo que não postava vou colocar da pagina 1 ate a 10 pra que perdeu o fio da meada ler de novo ou para quem ta conhecendo agora o blog acompanhar e muito em breve vamos fazer uma votação para dar um nome ao livro para depois fazermos uma votação da capa também abraços e boa leitura




São Paulo
Uma hora e quinze minutos depois.


O celular vibrava na mesa do escritório insistentemente há pelo menos 15 minutos, na sala enfumaçada de fumaça de cigarros e charutos ele olhava a luz do visor piscando e cortava a ligação, a luz baixa não deixava enxergar os rostos dos outros participantes da reunião por traz das nuvens de fumaça. Então o celular piscou e vibrou mais uma vez, muito irritado ele pegou o celular e o olhou o nome no visor, fez uma cara de surpresa e resolveu atender.

 - Já falei para não me ligar nesse numero – falou ele irritado, mas quase aos sussurros.
 - Desculpe senhor, mas é uma emergência – quase suplicou a vez do outro lado da linha
 - O que pode ser tão importante assim pra interromper minha reunião.
 - É que alguém invadiu o computador da sua casa... – ele foi interrompido.
 - Mas como? – disse ele gritando e socou a mesa. Ele se levantou e se afastou da mesa de reunião.
 - Não sabemos ao certo como senhor sabemos somente que o endereço do invasor vem do mesmo condomínio que o senhor mora.
O telefone então ficou mudo por alguns segundos...
 - Aquele filho da p... – mais alguns segundos de silencio, então ele completa – quero que mandem nossos melhores homens e acabem com aquele marginalzinho.

A ligação foi encerrada...


***** 01 *****

  
São Paulo.
Doze horas antes.

  Ele passava entre os carros tão rápido que pareciam parados. Não era uma moto qualquer e  todos viravam a cabeça quando viam uma Ducati 848 vermelha passando tão rápido que poucos reconheciam o modelo da moto. Ele cruzava as avenidas e passava pelas ruas como se não houvesse carros, motos ou pessoas, e em menos de 10 minutos ele entrou pela portaria do condomínio de altíssimo padrão, no bairro do Morumbi, em que vivia desde que nasceu, reduziu e parou a moto em uma garagem que parecia um sonho de qualquer mortal, e que ele havia conquistado com apenas 19 anos. Um Chevrolet Camaro 2010, um Volkswagen Jetta 2009, um Puma gtb 1975, e uma Harley Davidson sportster 2011, parou a Ducati e fechou a garagem sem olhar para fora. Subiu as escadas que davam para uma sala enorme que ele se orgulhava de ter mobiliado, era moderna em alguns moveis e quadros clássicos nas paredes, para ele a mistura perfeita. Entrou no escritório com poucos moveis e muito espaço, era uma sala grande com moveis negros e modernos, uma televisão de 50 polegadas na parede em frente a mesa onde haviam 3 telas de computador e todo tipo de aparelhos eletrônicos conectados a um servidor que não havia sido desligado desde a instalação, ele se sentou, movimentou o mouse e as telas se acenderam instantaneamente, uma das telas mostrava as cotações de ações em todas as bolsas de valores do mundo, na outra tela sua vida social agitada em vários perfis de redes sociais mais usadas pelos adolescentes, janelas de bate papo piscavam e chamavam sem parar. Na terceira tela – a mais utilizada – seu instrumento de trabalho, ele então começou a digitar códigos e algoritmos e o computador parecia falar com ele, pedindo mais códigos e cada vez mais letras e números iam surgindo na tela, digitava rapidamente tamanho era seu conhecimento e habilidade com o computador, os olhos fixos na tela, digitando sem olhar para o teclado ele pensou  – esses sistemas de segurança, estão cada vez mais fáceis, ou eu estou cada vez melhor – e ele sorriu sozinho ao conseguir invadir mais um sistema de segurança e roubar mais alguns dólares de algum milionário que ele nunca viu e provavelmente nunca verá.
  Era assim que ele ganhava a vida, de dentro da sua casa ele invadia contas bancarias quase sempre de quem tinha tanto dinheiro que provavelmente não perceberia a falta de alguns dólares em suas contas. Tudo começou como lazer, Fred como era chamado pelos amigos e conhecidos nas redes sociais aos 15 anos conheceu a informática e se apaixonou pelos computadores, primeiro pelos jogos, depois por programação e aos 17 anos já dominava tudo que se podia saber sobre criação e desenvolvimento de softwares e sites que se podia saber. Recusou investida de varias empresas de desenvolvimento de sistemas por achar desprezível cobrar por programas de deviam ser de domínio publico.


***** 02 *****


  Hoje com 19 anos Frederico Botelho Neto, é um hacker respeitado no underground da internet e um programador requisitado no mundo das empresas de tecnologia mais respeitada do Brasil. Uma vida social agitada, entre festas e boates, quase todas as noites Fred passava a noite com uma mulher diferente e naquela noite não tinha sido diferente. Levantou cedo pois era o melhor horário para invadir as contas dos milionários da Suíça em uma quinta-feira eram 9:20 da manha quando terminou seu saque diário e se levantou para tomar um café da manha, passou pela sala e foi em direção a cozinha quando o celular tocou em seu bolso, ele pegou e viu no visor que era Paulo seu amigo.
 - alô ?....

  - Alô? – disse Fred.
 - Fala Fred. – gritou Paulo – como foi a noite com a Carla?
 - Melhor impossível, ela é maravilhosa
 - E ai? O que vai fazer agora?
 - Tomar café e pegar uma piscina
 - Então vou passar ai pra pegar uma piscina também – falou Paulo e desligou.
Fred foi ate a cozinha e preparou um café da manha e se sentou para assistir televisão, adormeceu e sonhou um sonho perturbador.
 - correeee Fred. – gritou uma voz feminina.
Ele olhou para seu lado esquerdo, mas a mulher já estava correndo, e ele só conseguiu ver os cabelos dela balançando enquanto ela disparava para um beco escuro. Ele olhou para trás e viu dois carros pretos entrando na rua, olhou para esquerda e a mulher já sumira no beco escuro, começou a correr por um beco a direita a sua única opção já que a rua terminava a sua frente, correu uns 20 metros e viu uma moto entrando pela outra ponta do beco uns 100 metros a sua frente, ele parou desesperado e conseguiu enxergar um segundo beco ainda mais estreito a sua esquerda,ele entrou e pensou que ele não reconhecia nada nem ninguém e estava se perguntando o por que de estar sendo perseguido, o que queriam dele? Quem eram aquelas pessoas? Que lugar era aquele? E quem era a mulher misteriosa? Ele então entrou no beco e se escondeu na soleira de uma porta no começo do beco e quando a moto entrou acelerada no beco ele esticou o braço que bateu no peito do motoqueiro tão forte que ele foi arremessado da moto para traz, deu uma volta no ar e caiu no chão. A moto andou uns 2 metros e escorregou pelo chão, ele correu em direção a moto, mas quando a levantava ele ouviu um barulho de tiro...


***** 03 *****


 Fred acordou assustado com o barulho da campainha, ele passou a mão no rosto e reparou que estava todo suado, a campainha tocava insistentemente, ele olhou para o relógio em cima da televisão que marcava 11:10 ele se levantou e enxugou o rosto na camisa e foi ate a porta. Abriu a porta e era o Paulo.
 - Nossa to aqui a quase 5 minutos – falou Paulo.
 - Foi mau, peguei no sono.
 - Pegou no sono e perdeu a gata que entrou na casa do lado.
 - Que gata?
 - Uma garota de uns vinte e poucos anos branquinha desse tamanho- Paulo fez com a mão a altura que seria a mulher – maravilhosa... - ele deu uma pausa na narrativa e olhou para Fred que estava parado ainda na soleira da porta com o rosto suado e a camisa colada no corpo molhado – mais por que você esta suado assim? Te atrapalhei? Tem mulher ai? A Carla esta ai? Perguntava Paulo sem parar enquanto Fred tentava com o rosto para fora da porta ver alguma pessoa na casa ao lado.
 - Você sabe que não trago mulher aqui - disse Fred ainda com a cabeça para fora – você disse que tinha uma mulher entrando na casa do lado?
 - Isso mesmo, branquinha, de cabelo preto na altura do ombro, olho azul, descendo de um carro que com certeza era blindado, parecia uma princesa – Fez uma pausa, olhou para Fred que ainda parecia acreditar muito e completou - e se você tivesse aberto a porta quando toquei a primeira vez você teria visto ela.
 - não pode ser – falou Fred e atravessou a porta em direção ao jardim, andando e olhando na direção da porta da casa ao lado, ele parou e abaixou a cabeça, fechou os olhos e buscou na memória se seria possível. Realmente morava uma garota na casa ao lado, mas ele não a via desde que ele tinha 11 anos e ela tinha 14.
Ela se chamava Julia e era filha do seu vizinho misterioso um militar aposentado, Julia era criada por babás e empregadas mais não se tornaram uma garota mimada, ela era independente ate mesmo para sua pouca idade, Julia e Fred se tornaram grande amigos quando a mãe de Fred adoeceu alguns meses depois deles se conhecerem na mesma época – não pode ser ela era loira, mas ela realmente tem os olhos azuis – ainda parado Fred se perguntou se podia mesmo ser ela e então seus pensamentos foram interrompidos pelo grito de Paulo.
 - vai ficar ai parado? Vamos para a piscina – falou Paulo e entrou na casa.


***** 04 *****


Fred ainda deu uma olhada para porta da casa, mas não havia nem sinal de que alguém tinha passado por ali, olhou as janelas e nenhuma delas estava aberta ou se quer alguma das janelas estava com a cortina aberta, ele abaixou a cabeça e entrou pela porta tentando apenas esquecer o que julgou ser uma confusão da cabeça de Paulo – deve ser no vizinho errado, ou aquele maldito se mudou finalmente – pensou ele, balançou a cabeça e gritou para o Paulo que estava enfiando com a cabeça dentro da geladeira – pega uma cerveja pra mim também.
 - Claro, liga o som – e jogou uma cerveja para Fred que pegou no ar, ligou o som alto, que começou a tocar welcome to the family da banda Avenged Sevenfold ele deu um gole na cerveja e correu, deu um salto no ar e caiu na piscina, Paulo veio logo depois deu uma volta no ar e caiu na piscina.
 - E a noite com a Carlinha? Pronto pra me contar?


São Paulo
Uma hora e dez minutos depois.


A sala estava cheia de homens vestidos de calças pretas recheadas de bolsos por todos os lados, botas pretas ate a canela e blusas escuras com os dizeres INTELIGÊNCIA. Era uma sala de vinte e poucos metros quadrados e monitores espalhados por todos os lados em alguns se via um carro parado em frente ao que parecia ser uma loja desocupada com as portas abaixadas, em outro monitor se a porta de uma grande casa luxuosa sem nenhum movimento, então o silencio foi quebrado.
 - senhor pode vir aqui? – falou um dos homens da sala, e apontou para um dos monitores.
O único homem que estava de terno se moveu ate o monitor, fez uma cara ruim e perguntou – mas como?
 - Não sei senhor, alguém invadiu o computador pessoal dele senhor, e copiou a pasta que agente vinha descodificar a meses, aquela com as possíveis provas.
 - Você esta me dizendo que alguém invadiu e copiou a pasta que agente vinha tentando descodificar a meses, tão rápido que agente só depois que ele copiou que agente fica sabendo?


  ***** 05 *****


 - Desculpe senhor deve ser alguém muito bom mesmo senhor, ele foi muito rápido invadiu e em poucos segundos copiou a pasta que estava com o nome de fotos da Julia, provavelmente para disfarçar, decodificou copiou a pasta em poucos segundos e saiu e saiu deixando poucos rastros.
 - E quem é esse especialista? De onde ele fez isso?
 - Ele esta dentro do mesmo condomínio...
 - Aquele filho da p... aposto que é aquele hacker maldito mandem todos os homens disponíveis eu quero esse arquivo.
Ele chutou uma cadeira e pegou o celular.


São Paulo
Cinco horas antes

 O relógio marcava 12 horas em ponto Fred acabara de sair de uma reunião com os diretores de uma empresa para qual prestava alguns dos seus poucos serviços dentro da lei, no telefone cinco chamadas não atendidas ele olhou e resolveu não ligar para um numero desconhecido, a pouco tempo ele havia tido problemas com alguns capangas de um banqueiro russo que ele havia roubado alguns dólares de contas de clientes do banco dele, desde então não retornara nenhuma ligação de números desconhecidos.
 Entrou no puma gtb 1975 prata que um dia fora do seu pai – alem da casa era a única coisa que ele guardara como lembrança – ligou o motor – que fez todos em volta olharem - e arrancou o carro, andou 500 metros e parou no semáforo  vermelho,ele não conseguiu parar de pensar por nenhum segundo no que Paulo havia falado quando chegou na sua casa de manha.
 - Isso mesmo, branquinha, de cabelo preto na altura do ombro, olho azul, descendo de um carro que com certeza era blindado, parecia uma princesa – as palavras dele não lhe saiam da cabeça – ele arrancou o carro ao ouvir a buzina do carro de traz reclamando que semáforo tinha ficado verde, ele virou a próxima rua e andou mais algumas quadras e então teve a impressão de estava sendo seguido, - estou ficando louco – pensou ele – pisou fundo no acelerador quando entrou em uma avenida e logo a impressão de estar sendo seguido passou.


***** 06 *****


São Paulo
Três horas antes

 Fred saiu da aula de Krav Maga exausto de tanto apanhar, - nunca lutei tão mau, não to conseguindo mais me concentrar em nada, não poderia ser a Julia ela era loira, sim tinha os olhos azuis, em oito anos alguém poderia mudar a cor dos cabelos. – entrou no seu carro e ligou o som no ultimo volume ficou parado por mais 5 minutos tentando se concentrar em alguma coisa. Ele sempre tentou saber noticias de Julia, mas nunca conseguira ninguém sabia onde ela estava a oito anos, ele suspeitava que nem seu pai sabia, depois que ele deu um tapa no rosto dela por estar abraçada com ele, por que ele não aprovava a amizade dos dois. O telefone tocou, novamente ele pensou em atender mas ainda estava tentando se concentrar e resolveu não atender o numero desconhecido novamente, arrancou o carro pisou fundo no acelerador e saiu, andou 500 metros e olhou no retrovisor – agora sim estou sendo seguido, será que eles conseguem me acompanhar? – pesou sozinho, olhou no retrovisor, deu um pequeno sorriso e acelerou mais, o carro deu um ronco forte e disparou pela avenida, o carro acelerou também, ele cortava os carros rapidamente com perecia de um profissional, mas o carro ainda se aproximava, Fred então virou o volante para esquerda em um cruzamento como quem fosse realmente entrar a esquerda e em um movimento rápido puxou o volante para direita fazendo a traseira do carro derrapar e quem olhasse achava que ele ia perder o controle, mais uma virada pra direita e o carro concertou o trajeto entrando na rua a direita em um movimento tão rápido que o seu perseguidor não conseguiu acompanhá-lo e na tentativa de virar a direita na mesma rua o carro derrapou as rodas de traz e bateu em um carro parado na esquina ele olhou no espelho retrovisor deu um sorriso e pensou – amadores – reduziu uma marcha fazendo o carro pegar potencia e acelerou, o carro que o seguia acelerou junto e tentou se aproximar, mas no cruzamento seguinte o carro de Fred avançou o semáforo vermelho e o Ford Focus sedan preto que seguia ele também avançou o sinal vermelho e então Fred olhou no retrovisor um caminhão entrando por uma das ruas transversais atingindo o Ford na lateral, ele ainda viu o carro girar duas vezes na pista e atingir um carro parado. Ele pensou em parar e voltar para


***** 07 *****


 descobrir quem o perseguia mas acelerou mais ainda o carro e seguiu pela avenida, mau tinha se recuperado da descarga de adrenalina quando notou uma moto o seguindo – lembrou do sonho – ele olhou no retrovisor e viu o homem na moto todo vestido de preto sacar uma arma e apontar para sua direção ele virou a primeira rua a esquerda e ouviu um disparo, - mas que m... – falou baixo e acelerou, a moto fez a curva e o homem disparou novamente, ele fez um movimento rápido com o carro e ultrapassou um ônibus pela faixa da direita, a moto reduziu por não conseguir invadir a faixa da direita e também ultrapassou o ônibus pela faixa da direita, Fred ultrapassou mais dois carros e em seguida virou rápido o volante entrando em uma rua a direita, quase perde o controle do carro tamanho a velocidade, as duas rodas traseiras deslizaram no asfalto, controlou o carro e olhou para traz e não viu mais a moto – acho que consegui... antes que terminasse a frase a moto ressurgiu de uma rua e ele pode ver o homem sacar a arma para atirar, Fred jogou o carro em direção a moto que o homem guiava apenas com uma mão e com a arma em punho não conseguiu manter o controle da moto que balançou e bateu em um carro parado – Fred olhou pelo retrovisor e como se estivesse em uma cena de filme de ação viu o piloto da moto ser arremessado por cima do carro parado e cair rolando pelo asfalto já desacordado e provavelmente morto – ele freou o carro deu uma ultima olhada para traz respirou fundo e arrancou o carro derrapando as rodas traseiras. Ele dirigia sem acreditar o que acabara de acontecer – quem eram aqueles homens? Será que eram mais capangas do banqueiro russo? Será que tinha algum inimigo mais que desejava lhe matar? – Fred apenas dirigia tentando digerir aquele momento, olhava para todos os lados a todo momento olhava no retrovisor para tentar identificar mai algum possível perseguidor, sua cabeça girava e ele só pensava em ir para casa.


 O telefone foi atendido antes mesmo de dar o segundo toque.
 - aquele vazamento foi resolvido? - Falou a voz rouca e imponente.
 - senhor... - falou o homem ainda ofegante
 - não me venha com essa de senhor, me fala logo se vocês resolveram!
 - ele fugiu... - antes que o homem terminasse a frase a ligação foi encerrada.


***** 08 *****


Ela pegou o telefone e fez a ligação.
 - oi – atendeu o homem do outro lado da linha falando em um inglês com sotaque de Washington
 - oi, ainda não tive progresso. – falou ela com uma desanimo na voz.
Houve um segundo de silencio
 - Julie seu passado vai atrapalhar sua missão?
Houve um longo silencio.
 - não. – nem ela mesma tinha segurança no que dizia, e sentiu que ele também não sentia segurança no que ela dizia
 - ele é apenas um alvo, termine a missão e volte. – e desligou o telefone.
Ela olhou para o dispositivo rastreador em sua mão e pensou se seria capaz de colocar nos carros dele, ela se levantou e olhou em volta e não reconhecia mais aquela casa como sendo sua, tinha boas lembranças, mas as péssimas sempre superavam as boas, ela se levantou e foi ate a janela olhou para casa do lado e viu ele na piscina – como vou fazer isso? – o telefone tocou.
 - os equipamentos que você pediu estão disponíveis. – e a ligação foi encerrada.


Ela chegou ao endereço marcado, não tinha ninguém esperando, ela digitou o código e a porta do galpão se abriu, dentro do galpão havia uma mesa com uma mochila em cima e uma moto parada ao lado da mesa com as chaves penduradas, era uma MV Augusta F4 preta a mesma moto que ela tinha na garagem da sua atual casa, ela pegou o capacete, conferiu a mochila, com um notebook, alguns aparelhos eletrônicos, um celular codificado, e uma arma, ela colocou o capacete e a mochila nas costas ligou a moto – ela sempre se arrepiava com o som da moto – parou na porta do galpão digitou o código novamente e a porta s fechou, parou por alguns segundos e pensou – ele que me ensinou a gostar de motos – balançou a cabeça e acelerou a moto.


 Ela havia seguido Fred ate um prédio alto e tinha a informação que ele ia se reunir com um cliente importante, viu ele entrando no prédio, e deu a volta foi em direção ao condomínio, ela tinha alguns minutos, talvez uma hora para revistar sua casa. Menos de 15 minutos depois ela


***** 09 *****

  
estava parada na porta dos fundos da casa dele ela conectou um aparelho na tranca da porta que era digital e em alguns segundos o aparelho deu o código de segurança, ela digitou e a porta se abriu, ela hesitou, mas entrou na casa, ela já havia estudado a planta da casa e sabia como chegar a garagem, passou pela sala e pensou como ele tinha um bom gosto raro para sua pouca idade, atravessou um corredor e abriu a porta da garagem e foi colocando um rastreador em cada carro e um em cada moto, subiu para o quarto no segundo andar e procurou alguma informação que lhe pudesse ser útil, mas só haviam roupas – ele deve salvar tudo no computador, mas deve ser impossível de acessar. – ela pensou sozinha e então desceu as escadas em direção ao escritório, ficou impressionada como era simples e ao mesmo tempo moderno, reparou que o computador estava ligado, balançou o mouse e as telas se acenderam, nas telas uma janela pedia uma senha de acesso, que ela nem se atreveu tentar – ele engana tanta gente melhor que eu informática, nem vou tentar. – ela olhou no relógio eram 11:40 – ele deve estar saindo agora da reunião, e aquele carro eu ainda não coloquei um rastreador, se eu não correr vou perde-lo de vista. – então ela abriu uma gaveta, a única na mesa, e ficou paralisada, a gaveta estava praticamente vazia, dentro só havia uma foto dela que ele havia tirado no ultimo dia que ela tinha visto ele, não conseguia mover um músculo sua cabeça deu um giro e ela só conseguiu fechar a gaveta e sair correndo da casa.

Ele deveria sair a qualquer momento e ela não conseguia se concentrar em nada mais que a foto que viu a na gaveta de Fred a poucos minutos, - não acredito que ele guardou a foto todos esses anos – a cabeça dela girava ela se desequilibrou da moto e por um movimento involuntário ela conseguiu colocar o pé no chão e não cair da moto – tenho que me concentrar, aquela foto devia estar lá por acaso, talvez ele a tivesse achado sem querer, tenho que me concentrar... - e antes que ela pudesse ter algum outro pensamento o viu sair do prédio, entrar no carro e andar poucos metros, parar no semáforo vermelho no primeiro cruzamento a poucos metros do prédio onde ele estava, ela hesitou, mas ligou a moto e parou dois carros depois do dele, mantendo distancia para ele não perceber que ela o seguia.
 - por que ele esta parado? – pensou ela
O carro que estava atrás dele buzinou e Fred arrancou o carro, ela o seguiu por mais algumas quadras e então o pensamento da foto veio a cabeça de novo e ela abandonou a perseguição.


                                                           ***** 10 *****









terça-feira, 16 de agosto de 2011

pedido de desculpas

Oi pessoal
desculpa pela demora para postar uma nova pagina primeiramente queria ver o interesse real dos seguidores ou apenas os que acompanham o blog, gostei bastante pois não posto a um bom tempo e mesmo assim tivemos vistas significativas, inclusive de outros países. fiquei afastado por que como falei no meu perfil também adoro musica e estava criado algumas cancões letras e tocando algumas coisas por aqui mas muito em breve a nossa historia continua e vamos ate o fim sem nenhuma interrupção tao longa, como já disse que não sou escritor estou brincando de escrever e quem sabe não vira um livro de verdade peço que releiam as paginas já postadas parar podermos dar continuação e em um ou dois dias postarei 3 paginas seguidas
Desde já agradeço!

terça-feira, 10 de maio de 2011

PAGINA 04 corrigida PAGINA 05 e uma previa da PAGINA 06

PRIMEIRAMENTE gostaria de me desculpar pela demora na postagem pois estava viajando, gostaria de agradecer quem visitou o Blog em especial aos visitantes de Portugal que estão marcando presença com bastante freqüência. então la vai as paginas 4, 5 e uma previa da 6.



Fred acordou assustado com o barulho da campainha, ele passou a mão no rosto e reparou que estava todo suado, a campainha tocava insistentemente, ele olhou para o relógio em cima da televisão que marcava 11:10 ele se levantou e enxugou o rosto na camisa e foi ate a porta. Abriu a porta e era o Paulo.
 - Nossa to aqui a quase 5 minutos – falou Paulo.
 - Foi mau, peguei no sono.
 - Pegou no sono e perdeu a gata que entrou na casa do lado.
 - Que gata?
 - Uma garota de uns vinte e poucos anos branquinha desse tamanho- Paulo fez com a mão a altura que seria a mulher – maravilhosa... - ele deu uma pausa na narrativa e olhou para Fred que estava parado ainda na soleira da porta com o rosto suado e a camisa colada no corpo molhado – mais por que você esta suado assim? Te atrapalhei? Tem mulher ai? A Carla esta ai? Perguntava Paulo sem parar enquanto Fred tentava com o rosto para fora da porta ver alguma pessoa na casa ao lado.
 - Você sabe que não trago mulher aqui - disse Fred ainda com a cabeça para fora – você disse que tinha uma mulher entrando na casa do lado?
 - Isso mesmo, branquinha, de cabelo preto na altura do ombro, olho azul, descendo de um carro que com certeza era blindado, parecia uma princesa – Fez uma pausa, olhou para Fred que ainda parecia acreditar muito e completou - e se você tivesse aberto a porta quando toquei a primeira vez você teria visto ela.
 - não pode ser – falou Fred e atravessou a porta em direção ao jardim, andando e olhando na direção da porta da casa ao lado, ele parou e abaixou a cabeça, fechou os olhos e buscou na memória se seria possível. Realmente morava uma garota na casa ao lado, mas ele não a via desde que ele tinha 11 anos e ela tinha 14.
Ela se chamava Julia e era filha do seu vizinho misterioso um militar aposentado, Julia era criada por babás e empregadas mais não se tornaram uma garota mimada, ela era independente ate mesmo para sua pouca idade, Julia e Fred se tornaram grande amigos quando a mãe de Fred adoeceu alguns meses depois deles se conhecerem na mesma época – não pode ser ela era loira, mas ela realmente tem os olhos azuis – ainda parado Fred se perguntou se podia mesmo ser ela e então seus pensamentos foram interrompidos pelo grito de Paulo.
 - vai ficar ai parado? Vamos para a piscina – falou Paulo e entrou na casa.


***** 04 *****


Fred ainda deu uma olhada para porta da casa, mas não havia nem sinal de que alguém tinha passado por ali, olhou as janelas e nenhuma delas estava aberta ou se quer alguma das janelas estava com a cortina aberta, ele abaixou a cabeça e entrou pela porta tentando apenas esquecer o que julgou ser uma confusão da cabeça de Paulo – deve ser no vizinho errado, ou aquele maldito se mudou finalmente – pensou ele, balançou a cabeça e gritou para o Paulo que estava enfiando com a cabeça dentro da geladeira – pega uma cerveja pra mim também.
 - Claro, liga o som – e jogou uma cerveja para Fred que pegou no ar, ligou o som alto, que começou a tocar welcome to the family da banda Avenged Sevenfold ele deu um gole na cerveja e correu, deu um salto no ar e caiu na piscina, Paulo veio logo depois deu uma volta no ar e caiu na piscina.
 - E a noite com a Carlinha? Pronto pra me contar?


São Paulo
Uma hora e dez minutos depois.


A sala estava cheia de homens vestidos de calças pretas recheadas de bolsos por todos os lados, botas pretas ate a canela e blusas escuras com os dizeres INTELIGÊNCIA. Era uma sala de vinte e poucos metros quadrados e monitores espalhados por todos os lados em alguns se via um carro parado em frente ao que parecia ser uma loja desocupada com as portas abaixadas, em outro monitor se a porta de uma grande casa luxuosa sem nenhum movimento, então o silencio foi quebrado.
 - senhor pode vir aqui? – falou um dos homens da sala, e apontou para um dos monitores.
O único homem que estava de terno se moveu ate o monitor, fez uma cara ruim e perguntou – mas como?
 - Não sei senhor, alguém invadiu o computador pessoal dele senhor, e copiou a pasta que agente vinha descodificar a meses, aquela com as possíveis provas.
 - Você esta me dizendo que alguém invadiu e copiou a pasta que agente vinha tentando descodificar a meses, tão rápido que agente só depois que ele copiou que agente fica sabendo?


  ***** 05 *****

 - Desculpe senhor deve ser alguém muito bom mesmo senhor, ele foi muito rápido invadiu e em poucos segundos copiou a pasta que estava com o nome de fotos da Julia, provavelmente para disfarçar, decodificou copiou a pasta em poucos segundos e saiu e saiu deixando poucos rastros.
 - E quem é esse especialista? De onde ele fez isso?
 - Ele esta dentro do mesmo condomínio...
 - Aquele filho da p... aposto que é aquele hacker maldito mandem todos os homens disponíveis eu quero esse arquivo.
Ele chutou uma cadeira e pegou o celular.

***** 06 *****

segunda-feira, 18 de abril de 2011

PAGINA 02 corrigida PAGINA 03 e uma previa da PAGINA 04

São Paulo.
Doze horas antes.

  Ele passava entre os carros tão rápido que pareciam parados. Não era uma moto qualquer e  todos viravam a cabeça quando viam uma Ducati 848 vermelha passando tão rápido que poucos reconheciam o modelo da moto. Ele cruzava as avenidas e passava pelas ruas como se não houvesse carros, motos ou pessoas, e em menos de 10 minutos ele entrou pela portaria do condomínio de altíssimo padrão, no bairro do Morumbi, em que vivia desde que nasceu, reduziu e parou a moto em uma garagem que parecia um sonho de qualquer mortal, e que ele havia conquistado com apenas 19 anos. Um Chevrolet Camaro 2010, um Volkswagen Jetta 2009, um Puma gtb 1975, e uma Harley Davidson sportster 2011, parou a Ducati e fechou a garagem sem olhar para fora. Subiu as escadas que davam para uma sala enorme que ele se orgulhava de ter mobiliado, era moderna em alguns moveis e quadros clássicos nas paredes, para ele a mistura perfeita. Entrou no escritório com poucos moveis e muito espaço, era uma sala grande com moveis negros e modernos, uma televisão de 50 polegadas na parede em frente a mesa onde haviam 3 telas de computador e todo tipo de aparelhos eletrônicos conectados a um servidor que não havia sido desligado desde a instalação, ele se sentou, movimentou o mouse e as telas se acenderam instantaneamente, uma das telas mostrava as cotações de ações em todas as bolsas de valores do mundo, na outra tela sua vida social agitada em vários perfis de redes sociais mais usadas pelos adolescentes, janelas de bate papo piscavam e chamavam sem parar. Na terceira tela – a mais utilizada – seu instrumento de trabalho, ele então começou a digitar códigos e algoritmos e o computador parecia falar com ele, pedindo mais códigos e cada vez mais letras e números iam surgindo na tela, digitava rapidamente tamanho era seu conhecimento e habilidade com o computador, os olhos fixos na tela, digitando sem olhar para o teclado ele pensou  – esses sistemas de segurança, estão cada vez mais fáceis, ou eu estou cada vez melhor – e ele sorriu sozinho ao conseguir invadir mais um sistema de segurança e roubar mais alguns dólares de algum milionário que ele nunca viu e provavelmente nunca verá.
  Era assim que ele ganhava a vida, de dentro da sua casa ele invadia contas bancarias quase sempre de quem tinha tanto dinheiro que provavelmente não perceberia a falta de alguns dólares em suas contas. Tudo começou como lazer, Fred como era chamado pelos amigos e conhecidos nas redes sociais aos 15 anos conheceu a informática e se apaixonou pelos computadores, primeiro pelos jogos, depois por programação e aos 17 anos já dominava tudo que se podia saber sobre criação e desenvolvimento de softwares e sites que se podia saber. Recusou investida de varias empresas de desenvolvimento de sistemas por achar desprezível cobrar por programas de deviam ser de domínio publico.


***** 02 *****


  Hoje com 19 anos Frederico Botelho Neto, é um hacker respeitado no underground da internet e um programador requisitado no mundo das empresas de tecnologia mais respeitada do Brasil. Uma vida social agitada, entre festas e boates, quase todas as noites Fred passava a noite com uma mulher diferente e naquela noite não tinha sido diferente. Levantou cedo pois era o melhor horário para invadir as contas dos milionários da Suíça em uma quinta-feira, eram 9:20 da manha quando terminou seu saque diário e se levantou da sua mesa de trabalho para tomar um café da manha, passou pela sala e foi em direção a cozinha quando o celular tocou em seu bolso, ele pegou e viu no visor que era Paulo seu amigo.
 - Alô? – disse Fred.
 - Fala Fred. – gritou Paulo – como foi a noite com a Carla?
 - Melhor impossível, ela é maravilhosa
 - E ai? O que vai fazer agora?
 - Tomar café e pegar uma piscina
 - Então vou passar ai pra pegar uma piscina também – falou Paulo e desligou.
Fred foi ate a cozinha e preparou um café da manha e se sentou para assistir televisão, adormeceu e sonhou um sonho perturbador.
 - correeee Fred. – gritou uma voz feminina.
Ele olhou para seu lado esquerdo, mas a mulher já estava correndo, e ele só conseguiu ver os cabelos dela balançando enquanto ela disparava para um beco escuro. Ele olhou para trás e viu dois carros pretos entrando na rua, olhou para esquerda e a mulher já sumira no beco escuro, começou a correr por um beco a direita a sua única opção já que a rua terminava a sua frente, correu uns 20 metros e viu uma moto entrando pela outra ponta do beco uns 100 metros a sua frente, ele parou desesperado e conseguiu enxergar um segundo beco ainda mais estreito a sua esquerda,ele entrou e pensou que ele não reconhecia nada nem ninguém e estava se perguntando o por que de estar sendo perseguido, o que queriam dele? Quem eram aquelas pessoas? Que lugar era aquele? E quem era a mulher misteriosa? Ele então entrou no beco e se escondeu na soleira de uma porta no começo do beco e quando a moto entrou acelerada no beco ele esticou o braço que bateu no peito do motoqueiro tão forte que ele foi arremessado da moto para traz, deu uma volta no ar e caiu no chão. A moto andou uns 2 metros e escorregou pelo chão, ele correu em direção a moto, mas quando a levantava ele ouviu um barulho de tiro...

***** 03 *****


 Fred acordou assustado com o barulho da campainha, ele passou a mão no rosto e reparou que estava todo suado, a campainha tocava insistentemente, ele olhou para o relógio em cima da televisão que marcava 11:10 ele se levantou e enxugou o rosto na camisa e foi ate a porta. Abriu a porta e era o Paulo.
 - Nossa to aqui a quase 5 minutos – falou Paulo.
 - Foi mau, peguei no sono.
 - Pegou no sono e perdeu a gata que entrou na casa do lado.
 - Que gata?...

***** 04 *****

sexta-feira, 15 de abril de 2011

PAGINA 01 corrigida PAGINA 02 e uma previa da PAGINA 03

São Paulo
Uma hora e quinze minutos depois.


O celular vibrava na mesa do escritório insistentemente há pelo menos 15 minutos, na sala enfumaçada de fumaça de cigarros e charutos ele olhava a luz do visor piscando e cortava a ligação, a luz baixa não deixava enxergar os rostos dos outros participantes da reunião por traz das nuvens de fumaça. Então o celular piscou e vibrou mais uma vez, muito irritado ele pegou o celular e o olhou o nome no visor, fez uma cara de surpresa e resolveu atender.

 - Já falei para não me ligar nesse numero – falou ele irritado, mas quase aos sussurros.
 - Desculpe senhor, mas é uma emergência – quase suplicou a vez do outro lado da linha
 - O que pode ser tão importante assim pra interromper minha reunião.
 - É que alguém invadiu o computador da sua casa... – ele foi interrompido.
 - Mas como? – disse ele gritando e socou a mesa. Ele se levantou e se afastou da mesa de reunião.
 - Não sabemos ao certo como senhor sabemos somente que o endereço do invasor vem do mesmo condomínio que o senhor mora.
O telefone então ficou mudo por alguns segundos...
 - Aquele filho da p... – mais alguns segundos de silencio, então ele completa – quero que mandem nossos melhores homens e acabem com aquele marginalzinho.

A ligação foi encerrada...

***** 01 *****
                          
São Paulo.
Doze horas antes.

  Ele passava entre os carros tão rápido que pareciam parados. Não era uma moto qualquer e  todos viravam a cabeça quando viam uma Ducati 848 vermelha passando tão rápido que poucos reconheciam o modelo da moto. Ele cruzava as avenidas e passava pelas ruas como se não houvesse carros, motos ou pessoas, e em menos de 10 minutos ele entrou pela portaria do condomínio de altíssimo padrão, no bairro do Morumbi, em que vivia desde que nasceu, reduziu e parou a moto em uma garagem que parecia um sonho de qualquer mortal, e que ele havia conquistado com apenas 19 anos. Um Chevrolet Camaro 2010, um Volkswagen Jetta 2009, um Puma gtb 1975, e uma Harley Davidson sportster 2011, parou a Ducati e fechou a garagem sem olhar para fora. Subiu as escadas que davam para uma sala enorme que ele se orgulhava de ter mobiliado, era moderna em alguns moveis e quadros clássicos nas paredes, para ele a mistura perfeita. Entrou no escritório com poucos moveis e muito espaço, era uma sala grande com moveis negros e modernos, uma televisão de 50 polegadas na parede em frente a mesa onde haviam 3 telas de computador e todo tipo de aparelhos eletrônicos conectados a um servidor que não havia sido desligado desde a instalação, ele se sentou, movimentou o mouse e as telas se acenderam instantaneamente, uma das telas mostrava as cotações de ações em todas as bolsas de valores do mundo, na outra tela sua vida social agitada em vários perfis de redes sociais mais usadas pelos adolescentes, janelas de bate papo piscavam e chamavam sem parar. Na terceira tela – a mais utilizada – seu instrumento de trabalho, ele então começou a digitar códigos e algoritmos e o computador parecia falar com ele, pedindo mais códigos e cada vez mais letras e números iam surgindo na tela, digitava rapidamente tamanho era seu conhecimento e habilidade com o computador, os olhos fixos na tela, digitando sem olhar para o teclado ele pensou  – esses sistemas de segurança, estão cada vez mais fáceis, ou eu estou cada vez melhor – e ele sorriu sozinho ao conseguir invadir mais um sistema de segurança e roubar mais alguns dólares de algum milionário que ele nunca viu e provavelmente nunca verá.
  Era assim que ele ganhava a vida, de dentro da sua casa ele invadia contas bancarias quase sempre de quem tinha tanto dinheiro que provavelmente não perceberia a falta de alguns dólares em suas contas. Tudo começou como lazer, Fred como era chamado pelos amigos e conhecidos nas redes sociais aos 15 anos conheceu a informática e se apaixonou pelos computadores, primeiro pelos jogos, depois por programação e aos 17 anos já dominava tudo que se podia saber sobre criação e desenvolvimento de softwares e sites que se podia saber. Recusou investida de varias empresas de desenvolvimento de sistemas por achar desprezível cobrar por programas de deviam ser de domínio publico.


***** 02 *****


  Hoje com 19 anos Frederico Botelho Neto, é um hacker respeitado no underground da internet e um programador requisitado no mundo das empresas de tecnologia mais respeitada do Brasil. Uma vida social agitada, entre festas e boates, quase todas as noites Fred passava a noite com uma mulher diferente e naquela noite não tinha sido diferente. Levantou cedo pois era o melhor horário para invadir as contas dos milionários da Suíça em uma quinta-feira eram 9:20 da manha quando terminou seu saque diário e se levantou para tomar um café da manha, passou pela sala e foi em direção a cozinha quando o celular tocou em seu bolso, ele pegou e viu no visor que era Paulo seu amigo.
 - alô ?....

***** 03 *****



terça-feira, 12 de abril de 2011

PAGINA 01

Cidade (* vocês decidem o nome, real ou fictícia)
Uma hora e quinze minutos depois.


O celular vibrava na mesa do escritório insistentemente há pelo menos 15 minutos, na sala enfumaçada de fumaça de cigarros e charutos ele olhava a luz do visor piscando e cortava a ligação, a luz baixa não deixava enxergar os rostos dos outros participantes da reunião por traz das nuvens de fumaça. Então o celular piscou e vibrou mais uma vez, muito irritado ele pegou o celular e o olhou o nome no visor, fez uma cara de surpresa e resolveu atender.

 - Já falei para não me ligar nesse numero – falou ele irritado, mas quase aos sussurros.
 - Desculpe senhor, mas é uma emergência – quase suplicou a vez do outro lado da linha
 - O que pode ser tão importante assim pra interromper minha reunião.
 - É que alguém invadiu o computador da sua casa... – ele foi interrompido.
 - Mas como? – disse ele gritando e socou a mesa. Ele se levantou e se afastou da mesa de reunião.
 - Não sabemos ao certo como senhor sabemos somente que o endereço do invasor vem do mesmo condomínio que o senhor mora.
O telefone então ficou mudo por alguns segundos...
 - Aquele filho da p... – mais alguns segundos de silencio, então ele completa – quero que mandem nossos melhores homens e acabem com aquele marginalzinho.

A ligação foi encerrada...


***************************** 01 *****************************
                                


Cidade (* vocês decidem o nome, real ou fictícia)
Uma semana antes.

...


                    
                                                     ***** 02 *****




AGORA SIM GALERA O LIVRO COMEÇOU, ESTA É A PRIMEIRA PAGINA 
E para próxima pagina vou pedir pra vocês grandes decisões que não serão feitas por votação e sim por comentários dessa vez NESSA ORDEM QUE SEGUI ABAIXO


1º a cidade que vai se passar se vai ser real ou fictícia
2º o nome da cidade 
3º o nome do personagem principal OBS: como ele vai ser perseguido ele precisa ter um nome completo "pra fixa dele na policia"   
4º um nome de um amigo ( vocês vão entender porque nas próximas paginas)


o resto se for necessário os outros nomes que surgirem eu deixo um parênteses em aberto e depois posto de novo a mesma pagina com as correções.
VAMO LÁ GALERA COMENTEM BASTANTE PARA O NOSSO LIVRO SEGUIR QUE DAQUI DOIS OU TRÊS DIAS POSTO A PRÓXIMA PAGINA JÁ COM AS SUGESTÕES DE VOCÊS!!!

agradecimentos e esclarecimentos

primeiramente gostaria de agradecer todas as visitas, as pessoas que comentaram, as que votaram, e as que so visualizaram o nosso Blog. aqui vai uma amostra das estatísticas do Blog que pra mim agora que vai começar, ja que pela votação a sinopse Nº 2 venceu e o livro ja pode começar...

É uma pena que só 30 pessoas votaram já que tivemos mais de 700 visualização do Blog.
Agora vamos aos esclarecimentos da pagina 01 que vai ser postada hoje ainda.
Só vou começar a historia a meu gosto já que assim imaginei a historia quando escrevi a sinopse. A segunda pagina vai ser de fato o começo da historia do nosso personagem, nessa primeira pagina deixo uma decisão para vocês, que explico melhor no fim do próximo post

segunda-feira, 4 de abril de 2011

3 sinopses em votaçao!!!

Ai galera passei um tempo pensando desde o ultimo post, e achei um jeito de facilitar, nesse post vou dar três opções de sinopses( três idéias das quais serão o ponto de partida do nosso livro) e no canto direito em cima do quadro de seguidores vai ter uma enquete na qual os leitores e seguidores do Blog poderão votar em qual das três sinopses o livro será baseado. Então vamos as candidatas...



Nº 1: ... Brasil, ano de 2017, o vírus da dengue( ou outra doença sugerida por vocês) evolui para o tipo 6   
ou tipo F(de fatal) como foi apelidado, e assim que evoluiu cada mosquito transmissor que pica qualquer animal ou humano, ou qualquer humano em contato com animal infectado ou ingerir carne infectada se contamina, e assim começa uma epidemia mundial ...
...Brasil, ano de 2019, com 96% da população mundial morta por infecção, os 4 % restante, imunes a infecção começam uma guerra para o controle do planeta e por uma raça unica. 2 seitas ( ou gangues ou qualquer outra nomenclatura que quiserem )...
PODEMOS DECIDIR UM GRUPO MENOR NA IDÉIA DE PACIFICAR OU QUE UMA SEITA DO MAU E OUTRA DO BEM E CONTAR A "GUERRA" vocês que irão decidir tudo durante o resto do livro.


Nº 2: Aos 12 anos ele( o nome vocês decidem ) já roubava carteiras no metrô só pelo prazer de nunca ser pego. Filho de familia rica desde sempre se meteu em confusão. Aos 15 se apaixona pela informatica e aos 19 já tinha se tornado um mestre em programação e em hackear. morava em um condomínio fechado de altíssimo padrão, tinha um vizinho misterioso, um ex comandante da aeronáutica aposentado com uma filha linda de 20 ou 21 anos ( mais velha que ele vocês decidem a idade), que ele não via desde que ela tinha 13 anos pois foi estudar na europa. No dia que ela retorna da europa ele a vê ele se apaixona, então decide invadir o computador dela para saber mais dela, e sem querer descobri um plano do pai dela para dar um golpe militar e tomar o poder do pais. Algumas horas depois começa um inferno na vida dele. os militares querendo matar e os federais que já estavam vigiando ele querendo os segredos que ele descobriu . Todos atras dele, então ele conta pra ela e os dois saem em uma fuga alucinante pelo pais fujindo dos militares e dos federais...

Nº 3: 2015 em um Brasil a beira de um guerra civil, a filha do presidente ( ou governante ) é seqüestrada pelos "rebeldes" um homem independente dos lados da "guerra" é contratado pelo presidente para salvar a sua filha. uma missão quase impossível já que os "rebeldes" se ocuparam de um estado inteiro ( a escolha de vocês) e a esconderam em um forte guardado por guardas armados em todas partes, uma missão que ele aceitou a não pretende desistir.










EM TODAS AS OPÇÕES VOCÊS VÃO DECIDIR O CAMINHO QUE A ESTÓRIA VAI SEGUIR, OS LOCAIS EM QUE VÃO SE PASSAR, E OS NOMES DE TODOS OS PERSONAGENS, E OUTRAS DECISÕES QUE FOREM APARECENDO PELO DESENROLAR DA ESTÓRIA...

ENTÃO VOTEM QUANTAS VEZES QUISEREM NA SUA FAVORITA  NO CANTO DIREITO DO BLOG... E QUE SEJA FEITA A VONTADE DE VOCÊS 

terça-feira, 22 de março de 2011

esclarecimentos !!!

Ok, visto que não fui muito claro no primeiro post venho esclarecer as principais duvidas de quem visitou o blog. A maior duvida foi quanto ao "motivo" do blog, então esclarecendo que este blog é uma tentativa de escrever um livro(mesmo que não seja publicado de fato, mas que seja escrito) completamente interativo, a partir dos comentários dos seguidores ou dos leitores. 
E a propósito, repensei o primeiro post e acho que não deveria ter começado sugerindo que começássemos pelo titulo, e sim por um motivo.

 O livro será sobre uma guerra nas estrelas? 
Ou sobre um universo paralelo em que pessoas desviam de tiros?
 Ou sobre uma adolescente que engravidou aos 15 do padrasto alcoólatra?
A melhor sugestão será seguida e daremos inicio a partir disso.

Então comentem pelo blog ou por e-mail: brunobragarodrigues@gmail.com